Foto: pixabay/pixels

IPCA

Segundo o boletim Focus, divulgado pelo Banco Central do Brasil (BCB) no início da semana, a expectativa para a inflação teve a 27ª alta consecutiva. O mercado alterou a o resultado esperado para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) de 8,51% para 8,59% em 2021. No atual patamar esperado pelo mercado, a inflação oficial da economia brasileira deverá ficar acima da meta estimada pelo Conselho Monetário Nacional (CMN), que era de 3,75% com margem de 1,5 ponto percentual (p.p.) para mais ou para menos.

PIB

O Produto Interno Bruto (PIB) teve sua estimativa de 5,4% mantida para 2021. Apesar do crescimento, é importante salientar que a base de comparação do crescimento refere-se a 2020, cuja produção nacional foi fortemente impactada pela crise sanitária provocada pela Covid-19.

Selic

A taxa básica de juros (Selic) também foi mantida em 8,25% para o fim de 2021. Atualmente, a meta da Selic está no patamar de 6,25%. Como ainda existem duas reuniões agendadas para o Comitê de Políticas Monetárias (Copom) – uma no fim de outubro e outra no início de dezembro – o mercado está prevendo um ajuste de 2 p.p. até o final de 2021.

Câmbio

A projeção para a taxa de câmbio ao fim de 2021 aumentou de R$ 5,20 para R$ 5,25. Desde o início da pandemia a moeda nacional vem sofrendo forte desvalorização cambial, com consequências diretas para a inflação verificada no país, principalmente para produtos alimentícios e combustíveis.

Contato: [email protected]

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *