Foto: Ijeab/Freepik

Por: Fernando Trambacos*

A Pesquisa Mensal do Comércio de junho de 2021 trouxe uma estimativa de crescimento de 6,3% do volume de vendas do varejo ampliado em relação ao mesmo período do ano anterior na série dessazonalizada, seguindo a tendência de recuperação observada nos últimos meses. Na comparação com o período imediatamente anterior à pandemia (fev/2020), o volume de vendas atual também representa crescimento de 1,5%. Ainda que esse volume de vendas contribua para um crescimento de 1,6% no trimestre encerrado em junho frente ao trimestre anterior, ele representa um recuo de 2,3% em relação ao mês de maio de 2021, o que indica que a retomada do varejo não será tão consistente quanto o esperado, principalmente por conta da aceleração da inflação e do aumento da taxa de juros básica da economia, bem como da manutenção de um nível alto de desemprego.

Fonte: IBGE – Pesquisa Mensal do Comércio, junho/2021

Ao se analisar o desempenho por setor, observa-se um desempenho muito diferente por segmento na comparação com o mês anterior, com destaque positivo para os setores de livros, jornais, revistas e papelaria (5,0%) e móveis e eletrodomésticos (1,6%) e negativo para os setores de tecidos, vestuário e calçados (-3,6%), equipamentos e material para escritório, informática e comunicação (-3,5%), outros artigos de uso pessoal e doméstico (-2,6%) e combustíveis e lubrificantes (-1,2%). Apesar do desempenho predominantemente negativo frente ao mês anterior, a maior parte dos segmentos apresenta recuperação relevante frente a junho de 2021 e uma boa retomada frente ao início da pandemia (fev/2020).

SetorVs. início da pandemia (fev/2020)Vs. ano anterior (jun/2021)Vs. mês anterior (mai/2021)
Combustíveis e lubrificantes-5,0%12,2%-1,2%
Hipermercados, supermercados, produtos alimentícios…2,8%-3,9%-0,5%
Tecidos, vestuário e calçados-8,4%60,8%-3,6%
Móveis e eletrodomésticos3,6%-5,4%1,6%
Artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos, de …11,8%13,2%0,4%
Livros, jornais, revistas e papelaria-31,2%15,9%5,0%
Equipamentos e materiais para escritório, informática…-9,2%4,0%-3,5%
Outros artigos de uso pessoal e doméstico12,7%22,5%-2,6%
Veículos, motocicletas, partes e peças-4,6%33,9%-0,2%
Material de construção23,5%6,7%1,9%
Varejo ampliado1,5%11,2%-2,3%
Fonte: IBGE – Pesquisa Mensal do Comércio, junho/2021.

Já na distribuição regional, observa-se grande variação de comportamento entre as unidades da federação, mas com predomínio de forte recuperação frente ao início da pandemia. Por outro lado, o fato de quatro dos cinco maiores estados do país, terem apresentado relativa estabilidade ou regressão (São Paulo, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul e Paraná), sendo a única exceção positiva o estado de Minas Gerais, ajuda a explicar o desempenho fraco do varejo como um todo no período.

SetorVs. início da pandemia (fev/2020)Vs. ano anterior (jun/2021)Vs. mês anterior (mai/2021)
Acre6,5%7,4%-0,1%
Alagoas1,3%4,8%0,0%
Amapá25,4%-6,3%-9,0%
Amazonas8,1%-7,5%-0,9%
Bahia3,1%13,2%-1,6%
Ceará2,6%2,6%0,0%
Distrito Federal-7,6%-0,5%-0,6%
Espírito Santo16,9%17,3%1,3%
Goiás10,5%14,4%0,0%
Maranhão12,6%-2,5%-0,9%
Mato Grosso2,9%8,3%-0,1%
Mato Grosso do Sul14,8%11,6%-2,4%
Minas Gerais11,8%8,3%-2,7%
Pará17,8%5,7%0,9%
Paraíba0,0%-3,4%-0,6%
Paraná2,2%3,5%-3,3%
Pernambuco15,7%7,7%0,0%
Piauí14,9%27,8%3,2%
Rio de Janeiro-4,1%0,2%-2,5%
Rio Grande do Norte3,1%6,1%1,8%
Rio Grande do Sul-0,5%7,1%-4,8%
Rondônia19,5%16,0%0,4%
Roraima19,2%9,6%0,9%
Santa Catarina11,5%8,4%0,4%
São Paulo1,5%3,1%-0,5%
Sergipe3,9%9,8%2,5%
Tocantins0,0%-3,2%-1,9%
Fonte: IBGE – Pesquisa Mensal do Comércio, junho/2021.

*Fernando Trambacos – Coordenador dos cursos de Inteligência de Mercado no Varejo e Planejamento e Gestão Financeira no Varejo da Faculdade Fipecafi

Contato: [email protected]

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *