Foto: aleksandarlittlewolf/Freepik

No penúltimo mês do ano passado, o Índice de Preços ao Produtor (IPP) mensal alcançou 1,31%, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgados nesta quarta-feira (5). O índice demonstra desaceleração visto que em outubro, apresentou alta de 2,16%.

As quatro maiores variações analisadas no IPP em novembro foram: refino de petróleo e produtos de álcool (6,63%), indústrias extrativas (-5,21%), outros produtos químicos (4,90%) e bebidas (2,52%).

O acumulado no ano foi de 28,36%, ante 26,69% em outubro de 2021. Refino de petróleo e produtos de álcool (71,04%), outros produtos químicos (60,03%), metalurgia (46,45%) e madeira (38,51%) foram as atividades com maior variação. Os setores de maior influência foram: refino de petróleo e produtos de álcool (5,99 p.p.), outros produtos químicos (4,81 p.p.), alimentos (3,99 p.p.) e metalurgia (3,04 p.p.).

Já o acumulado em 12 meses foi de 28,86%, contra 28,95% de outubro de 2021. As quatro variações mais significativas ocorreram em refino de petróleo e produtos de álcool (80,13%), outros produtos químicos (60,69%), metalurgia (48,87%) e madeira (39,77%). Os setores que mais influenciaram foram: refino de petróleo e produtos de álcool (6,44 p.p.), outros produtos químicos (4,86 p.p.), alimentos (3,73 p.p.) e metalurgia (3,15 p.p.).

Contato: [email protected]

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *