Foto: Artem Beliaikin/Pexels

Em novembro, pelo 3º mês consecutivo, a confiança dos comerciantes brasileiros caiu, de acordo com o Índice de Confiança do Empresário do Comércio (Icec), divulgado nesta quinta-feira (18) pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC).

De acordo com os dados divulgados, no mês de novembro o indicador registrou uma queda de 1,3% em comparação com o mês anterior. Na contramão da redução mensal, o acumulado anual da confiança empresarial apresenta uma alta de 9,7% em comparação com o mesmo período de 2020, fortemente impactado pela crise sanitária gerada pela Covid-19.

Mesmo com a melhora no número de pessoas nas ruas, a conjuntura econômica tem afetado negativamente a confiança empresarial. “A taxa de desocupação da economia brasileira ainda está bem acima do período pré-pandemia”, lembra Samuel Durso, economista-chefe do Denarius. De acordo com os últimos dados divulgados pela Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD Contínua), atualmente são mais de 13,7 milhões de brasileiros fora do mercado de trabalho.

Diversos outros fatores econômicos também ajudam a explicar os resultados do Icec deste mês como: aumento da inflação, que reduz o poder de compra dos brasileiros; alta desvalorização do real nos últimos meses, encarecendo as importações; e a elevação da taxa básica de juros do mercado, que deixa o acesso ao crédito mais difícil.

“Muitas famílias viram o poder de compra reduzir com o encarecimento de produtos básicos da economia, como energia elétrica, combustível e alimentos. Aliado a isso, as incertezas sobre o futuro da economia brasileira no próximo ano tendem a reduzir o potencial de consumo, mesmo para os indivíduos que já retornaram para o mercado de trabalho após a melhoria na crise pandêmica” pondera Durso. 

Contato: [email protected]

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *